Jack Dorsey, cofundador do Twitter, é efetivado como CEO da rede social

O Twitter efetivou Jack Dorsey como CEO da empresa, informa nesta segunda-feira (5) a agência Reuters. Cofundador e autor do primeiro tuíte publicado na rede social, ele ocupava o cargo interinamente desde julho. O executivo já havia exercido a função entre de 2007 a 2008.

Além disso, Dorsey é diretor-fundador da Square, especializada em pagamentos móveis.

Antes dele, o posto de CEO do Twitter ficou por seis anos com Dick Costolo. Ao anunciar sua saída, em junho, Costolo elogiou o colega: “Não há ninguém melhor que Jack Dorsey para liderar o Twitter durante essa transição. Ele tem conhecimento profundo do produto e da missão do Twitter no mundo, bem como um ótimo relacionamento com a equipe de liderança do Twitter”.

Twitter em dificuldades
Nos últimos meses, o Twitter tem enfrentado turbulências relacionadas a revenge porn dentro da rede, ameaças e ofensas pessoais e até pirataria com o recém-adquirido aplicativo de transmissão ao vivo Periscope.

Notas obtidas pelo site especializado The Verge em fevereiro mostram que Costolo concordava com as críticas relacionadas a bullying dentro da rede social, e como a empresa é lenta para corrigi-las.

“Nós somos ruins em lidar com abuso e ‘trolls’ na plataforma e nós somos assim há anos. Não é segredo e o resto do mundo fala disso todos os dias. Nós perdemos usuário após usuário por simplesmente não resolver os problemas com ‘trolls’ que surgem diariamente”, Costolo teria afirmado nessas notas.

Desempenho decepcionante
Depois de ingressar na Bolsa de Valores de Nova York no início de novembro de 2013, a empresa parece ter tido problemas para convencer os investidores de sua capacidade para acelerar seu crescimento e seu interesse para seus usuários.

A receita do grupo aumentou 74% em relação ao mesmo período de 2014, mas atingiu apenas US$ 436 milhões nos primeiros três meses de 2015. Os analistas esperavam, em média, US$ 456,8 milhões, e a própria empresa havia prometido um faturamento entre US$ 440 e 450 milhões.

A empresa continua deficitária, com uma perda líquida de US$ 162 milhões no primeiro trimestre contra a perda de US$ 132 milhões em 2014.
O Twitter informa que, até o final de março, o número de usuários do microblog chegava a 302 milhões, cerca de 14 milhões a mais do que nos três meses anteriores.

Deixe uma resposta