‘É um tempo fantástico para ser estudante’, diz presidente da Microsoft

“Acredito que é um tempo fantástico para ser estudante”, afirmou o presidente-executivo da Microsoft, Satya Nadella, nesta terça-feira (29), durante palestra na Universidade Anhembi-Morumbi, em São Paulo. O executivo líder da dona do Windows está em São Paulo para uma série de conversas com empreendedores e empresários.

À frente da Microsoft desde 2014, o indiano de 48 anos falou a uma plateia repleta de estudantes sobre como a tecnologia pode ajudar a concretizar projetos.

Satya usou sua própria experiência pessoal para comparar como a tecnologia se tornou “onipresente” em setores tão diversos como a medicina e a sociologia desde que ele se formou em engenharia em 1990. “Não é só ciência da computação, mas pensamento da computação aplicada a esses setores.”

Tecnologia
O executivo bateu na tecla de que os sistemas desenvolvidos por empresas como a Microsoft têm a capacidade de dar poder às pessoas para mudar suas realidades. O motor desse movimento são jovens, principalmente os de países em desenvolvimento, como Brasil e Índia. Um dos personagens emblemáticos dessa transformação é um funcionário da própria Microsoft, o brasileiro Alex Kipman.

“O que a tecnologia está fazendo é tornar as oportunidades mais acessíveis em um país como o Brasil.” Kipman é o criador do Projeto Natal, embrião do Kinect, o sensor de movimentos que acompanha os videogames da linha Xbox. “É impressionante o que ele fez”, diz Nadella.

Agora, o brasileiro trabalha em outra aposta da empresa para o futuro, a HoloLens, um óculos de realidade aumentada para fazer que aparelhos conectados não só respondam a gestos mas façam os usuários mergulharem dentro das aplicações que estiverem rodando.

O Kinect, diz Nadella, são um exemplo de como funciona o uso criativo da tecnologia, em que produtos são suporte para a criação de outras aplicações. O presidente citou o uso do sensor de movimentos na medicina para cuidar de pacientes ao mesmo tempo que os dados coletados indicam a eficiência do tratamento. “E o custo dessa tecnologia é mínimo porque você está usando um produto de entretenimento.”

Aprender
Voltando-se aos estudantes, o presidente da Microsoft afirmou que a universidade é o melhor ambiente para aproveitar a interdisciplinaridade e ter novas ideias. Citando outro indiano, ele disse: “Gandhi disse que você deve viver sua vida como se fosse morrer amanhã, mas também aprender como se fosse viver para sempre”.

Durante a palestra, Nadella conversou com empreendedores brasileiros. Entra eles, Bianca Letti e Juliana Pirani, integrante do time brasileiro vencedor da edição 2015 da “Copa do Mundo da Programação”, como é conhecida a competição Imagine Cup, promovida pela Microsoft.

Ao lado de Daniel Tsuha, Bianca e Juliana criaram um serviço que cria automaticamente moldes de roupa personalizadas para todo tipo de corpo. “A gente acredita que não temos mais de servir nas roupas, as roupas é que têm de servir na gente”, diz Juliana. “Eu brinco que é o Uber da moda”, comentou Richard Chaves, diretor de novas tecnologias da Microsoft.

Outro a dividir o palco com Nadella foi João Paulo Oliveira, um dos criadores do Prodeaf, um sistema que faz a tradução de textos do português para a Língua Brasileira de Sinais (Libras). Criado em 2010, o tradutor já é usado por mais de um milhão de pessoas e é apoiado pela Microsoft.

“A gente acredita que o maior impacto que pode gerar para o país está relacionado à educação e ao empreendedorismo”, afirma comenta Chaves.

Deixe uma resposta